quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

A questão que se coloca...

Roteiro da apresentação do dia 22/11/2007 (quinta-feira). Curso de Extensão, Usp, Domenico Hur: ESQUIZOANÁLISE. Esse texto foi elaborado a partir do Texto: Pra Acabar com o Julgamento de Deus, de Artaud. A proposta era trabalhar a percepção do individuo através de imagens e sons (coerentes e incoerentes), propôr um encontro de rompimento eu-instituído.

TATI: (abre a porta da sala, entra e comunica) A questão que se coloca...
(do lado de fora, aumenta-se o tom de voz gradualmente)
VANY: A questão que se coloca...
RAPHA: A questão que se coloca...
CAROL: A questão que se coloca...
TATI: O que é grave é sabermos que atrás da ordem deste mundo existe uma outra.
VANY: é sabermos que atrás da ordem deste mundo existe uma outra.
(bate no ombro da Tati que cai - forma estilizada)
RAPHA: que atrás da ordem deste mundo existe uma outra.
(bate no ombro da Vany que cai)
CAROL: existe uma outra. (bate no ombro do Rapha que cai)
(Lembrando que a "caída" é sempre estilizada)
TATI: Que é noite,
VANY: Nada,
RAPHA: Irreflexão
CAROL: Meu corpo.
TODOS: Não sei. (pausa) Mas sei que...
TATI: O espaço,
VANY: O tempo,
RAPHA: A dimensão,
CAROL: O devir,
TATI: O futuro,
VANY: O destino,
RAPHA: O ser,
CAROL: O não-ser.
TODOS: O Eu. (pausa) Eu, indivíduo, indústria, instituição, eu integrada, eu desunido. PARTI.
(tambor - remanejar-se na sala)
TATI: Senhores, queiram colocar o cinto de segurança que a viagem vai começar e quem sai vivo só Deus irá julgar.
VANY: o cinto de segurança que a viagem vai começar e quem sai vivo só Deus irá julgar.
RAPHA: a viagem vai começar e quem sai vivo só Deus irá julgar.
CAROL: quem sai vivo só Deus irá julgar.
TATI: Virem suas respectivas cadeiras com o olhar direcionado para a parede.
VANY: suas respectivas cadeiras com o olhar direcionado para a parede.
RAPHA: com o olhar direcionado para a parede.
CAROL: para a parede.
TODOS: (como gagos) As ven das de vem ser co lo ca das nos o lhos. (como robôs) A luz está sendo apagada.
(mùsica - 30 segundos da mesma, tempo para acender as velas e os incensos e preparar-se para o contato sensorial com o público. Caos tribal. Água em burifador, pena, café, perfume, óleo... etc. Após esse contato, o espelho passará nas mãos de cada um. )
TATI: Parece dificil mas há uma forma de nos verem sem tirar os olhos da parede e este meio será passado de mão em mão.
VANY: Parece difícil.
RAPHA: Forma de nos verem.
CAROL: Passado de mão em mão.
(disco enferrujado, várias palavras faladas aleatoriamente - ombro no ombro - ad infinitum)
(Poesias - Papéis dobrados no meio da sala. Cada um será tirado para participar do grupo dos 4 até finalizar com todos indivíduos formando um único grupo.)

* O final foi bem interessante porque saiu totalmente do pré-estabelecido. O que era para provocar uma junção dentro do círculo não aconteceu. As pessoas como se obedecendo a uma ordem (não mencionada) pegavam seus poemas, liam e voltavam para sua respectiva cadeira.

Frases para conhecimento:
1. Michel Foucalt: A verdade nada mais é do que uma mentira que não pode ser contestada em um determinado momento.
2. Prazer em exercer um poder que questiona, fiscaliza, espreita, espia, investiga, apalpa, revela, prazer de escapar a esse poder. Poder que se deixa invadir pelo prazer que persegue - poder que se afirma no prazer de mostrar-se, de escandalizar, de resistir. Prazer e poder.
Um novo prazer surgiu: o de contar e o de ouvir. Dever de dizer tudo. Confessa! É obrigação a confissão.
3. Estimulação dos corpos, da intensificação dos prazeres, da incitação do discurso, da formação dos conhecimentos, do reforço dos controles e das resistências. Socialmente construída. Aceite a verdade que mais lhe convém ou invente novas verdades.
Participaram dessa apresentação:
Carol Vita, Tatiane Janke, Raphael Enrique e Vanessa Morelli.

2 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Agora que percebi que você passa pra cá teus textos teatrais, não tinha pensado nisso. Interessante.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.